Notícias UNIPAC

Março Lilás: Prevenção do Câncer de Colo de Útero

A FUPAC/UNIPAC, apoia a campanha “Março Lilás”, que tem o propósito de conscientizar a população quanto a importância da Prevenção do Câncer de Colo do Útero. A seguir texto feito pela coordenadora do curso de Enfermagem, professora Renilza Cabral.

O mês de março, dedicado á mulher, foi escolhido como o mês propício para a conscientização das mulheres para a importância da prevenção e combate ao câncer de colo uterino, por meio da Campanha “Março Lilás”. O objetivo da campanha é reduzir o número de mortes por câncer de colo uterino e promover a prevenção desde cedo. Ao longo do mês, os serviços de saúde intensificam ações para levar informação e estimular as mulheres para os cuidados de prevenção contra o câncer de colo uterino, além de alertar para os riscos associados à doença.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer – INCA, o câncer de colo uterino é o segundo tipo de câncer mais frequente entre as mulheres de todo o mundo e o terceiro mais incidente na população feminina brasileira.  O controle do câncer do colo do útero é hoje uma prioridade da agenda de saúde do país e integra o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil, lançado pelo Ministério da Saúde, em 2011. Sua incidência se dá em mulheres entre 45 e 49 anos de idade e o principal fator de risco é a infecção pelo HPV (Papiloma Vírus Humano).

O vírus HPV (Papiloma Vírus Humano), transmitido através de relações sexuais com pessoas infectadas, tem um papel essencial no surgimento das lesões precursoras do câncer de colo do útero, provocando alterações celulares que podem evoluir para o câncer. Ele é responsável por cerca de 70% dos casos desse tipo de câncer e pode ser evitado com medidas simples como o uso de preservativo e também por meio de vacina, que está disponível gratuitamente no serviço público, para meninos e meninas em fase inicial da adolescência, quando pressupõe-se que ainda não tiveram contato com o vírus.  Apesar da vacina ser mais eficaz quando administrada antes do início da vida sexual, mulheres mais velhas também podem se beneficiar do uso da vacina, pois ela protege contra diferentes tipos oncogênicos do vírus.

No entanto, vale ressaltar que apesar da proteção oferecida pela vacina é recomendada a realização do exame preventivo, sendo a melhor arma para a prevenção e o combate do câncer de colo uterino. Pesquisas revelam que o rastreamento, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado de lesões precursoras podem reduzir a mortalidade pela doença em até 80%.

O exame preventivo Papanicolau ou colpocitologia oncológica consiste na coleta de células da região do colo uterino para detectar de forma precoce alguma lesão precursora de câncer no colo uterino. O exame permite ainda identificar infecções vaginais e/ou sexualmente transmissíveis.  No caso de ser identificada alguma lesão precursora, o tratamento pode ser bem sucedido com procedimentos poucos invasivos e simples, ao passo que o câncer vai exigir tratamentos mais complexos, a depender das características e extensão da lesão, compreendendo tratamento cirúrgico, quimioterapia e radioterapia.

Portanto, quanto mais cedo a lesão for detectada, maior a chance de sucesso do tratamento, por isso, é muito importante fazer o exame regularmente, a fim de diagnosticar precocemente a doença. Toda mulher com vida sexual ativa ou a partir dos 25 anos deve fazer o exame preventivo todos os anos. O diagnóstico precoce evita que lesões precursoras evoluam para a doença agressiva, que pode levar a morte. Assim, se você não tiver feito o exame preventivo no último ano, procure uma unidade básica de saúde e realize o exame.